sábado, 22 de abril de 2017

CONSIDERAÇÕES SOBRE A FATALIDADE DE UM QUASE-GOL


Henrique Faria

Você tinha pensado nisto? Eu pensei quando a Chapecoense sofreu aquela tragédia terrível na Colômbia.
Eu não sei a posição do tal de Blandi, do San Lorenzo argentino, time do papa Francisco. Vejo na Wikipédia que ele é ponta de lança avançado (o que pra mim é mandarim) e que foi ele que não teve competência de marcar aquele gol aos 48 minutos do segundo tempo (último minuto do jogo), defendido espetacularmente por Danilo, do clube catarinense, num rasgo de puro reflexo e pura sorte.
Sorte? Se Blandi faz aquele gol a Chape não iria para a final com o Atlético Nacional de Medellin. Não vamos culpar nem Blandi pela grossura, nem Danilo pela competência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário